quinta-feira, 17 de abril de 2014

Condenado recebe perdão de família de vítima e se salva da forca no Irã Parentes de adolescente morto há 7 anos evitaram enforcamento. Imagens foram feitas na última terça-feira (15), em Nowshahr.


Do G1, em São Paulo

Agência de notícias do Irã acompanhou a execução de um jovem condenado por esfaquear um adolescente há sete anos (Foto: Arash Khamooshi/Isna)Agência de notícias do Irã registrou momento em que família de vítima concede perdão a condenado e o salva da forca (Foto: Arash Khamooshi/Isna)
A execução de um homem condenado no Irã pelo assassinato de um adolescente de 17 anos, cometido há sete anos, reuniu uma multidão na última terça-feira (15) em Nowshahr. No entanto, prestes a ser enforcado, a família da vítima concedeu o perdão ao homem e o salvou da morte, segundo o jornal britânico "The Guardian".
Balal Abdullah esfaqueou e matou Abdollah Hosseinzadeh durante uma briga na rua. Por isso, familiares do morto tiveram o direito de reclamar a execução do assassino pela regra do “olho por olho”.
As imagens mostram o momento em que Balal é levado até um local público, onde uma forca foi preparada. Em uma das fotos é possível vê-lo pedindo por sua vida.
Já com a corda no pescoço, a mãe da vítima apareceu, deu-lhe um tapa no rosto e concedeu-lhe o perdão -- algo considerado raro, segundo o "Guardian".
O pai da vítima, Abdolghani Hosseinzadeh, disse que um sonho de sua esposa fez a família tomar a decisão de não seguir com a execução.
"Três dias atrás minha esposa viu o meu filho mais velho em um sonho, dizendo que estaria em um bom lugar e que não era para retaliar [a morte]. Isso a acalmou", explica. Apesar do perdão, Balal pode não ser libertado da prisão.
Todos os movimentos foram acompanhados de longe pela população. A sequência de fotos foi divulgada pela agência de notícias local Isna.
Balal Abdullah foi levado por oficiais do Irã para ser executado em local público (Foto: Arash Khamooshi/Isna/AFP)Balal Abdullah foi levado por oficiais do Irã para ser executado em local público (Foto: Arash Khamooshi/Isna/AFP)
A mãe do jovem assassinado por Balal Abdullah dá um tapa em seu rosto antes dele ser enforcado. O Irã segue a regra do “olho por olho”: no caso de assassinato, parentes da vítima têm o direito de reclamar a execução do assassino (Foto: Arash Khamooshi/Isna/AFP)A mãe do jovem assassinado por Balal Abdullah deu-lhe um tapa no rosto momentos antes de conceder o perdão, o que salvou o homem da morte (Foto: Arash Khamooshi/Isna/AFP)
  •  
Familiares da vítima, morta há sete anos, ajudam a colocar a corda no pescoço do condenado (Foto: Arash Khamooshi/Isna/AFP)Familiares da vítima, morta há sete anos, ajudam a retirar a corda no pescoço do condenado (Foto: Arash Khamooshi/Isna/AFP)
Público acompanha a execução, que aconteceu na última terça-feira (15) (Foto: Arash Khamooshi/Isna/AFP)Público iria acompanhar a execução, que aconteceu na última terça-feira (15) (Foto: Arash Khamooshi/Isna/AFP)

Exame de DNA confirma que corpo esquartejado era de motorista Polícia tem um vídeo e fez retrato de mulher que seria amante da vítima. Partes do corpo foram encontrados no entorno do cemitério da Consolação.


Do G1 São Paulo

O corpo esquartejado e espalhado em sacos plásticos no Centro de São Paulo no mês de março é do motorista de ônibus desaparecido no mesmo mês, como informou o Bom Dia São Paulo, nesta quinta-feira (17).

A família de Álvaro Pedroso, de 55 anos, procurou a polícia e fez um exame de DNA para confirmar o parentesco. O sangue utilizado para o teste foi o da filha do motorista.

De acordo com o Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), o motorista sumiu no último dia 22. Naquele mesmo dia, partes do tronco e membros foram encontradas no entorno do cemitério da Consolação, em Higienópolis. Cinco dias depois, a cabeça foi achada na Praça da Sé.

A Polícia Civil conseguiu um vídeo e fez o retrato falado de uma mulher que seria a amante de Álvaro. Ela é suspeita de envolvimento no sumiço e no assassinato do motorista. As imagens das câmeras, o retrato falado e a identidade da amante não foram divulgados.

O retrato falado, segundo o delegado-geral da Polícia Civil, Luiz Maurício Souza Blazeck, foi feito a partir de imagens que mostram uma mulher empurrando um carrinho pela região da Consolação, onde o cadáver foi encontrado. Relatos de testemunhas da área que viram essa pessoa também ajudaram a elaborar o rosto da suspeita.

De acordo com a investigação, a família do motorista comentou que ele nasceu em Minas Gerais, mora em São Paulo, é casado, mas estaria tendo uma relação extraconjugal com uma prostituta. E que havia saído de casa na tarde de 22 de março para ver a amante. Depois disso, ele desapareceu.
Policiais investigam a hipótese de a mulher que se encontrou com Álvaro tê-lo matado ou contratado assassinos de aluguel para executá-lo. Um dos motivos seria o fato dele querer romper o relacionamento com ela.
No sábado (5) passado a Polícia Civil divulgou a imagem digitalizada do rosto do homem que teve o corpo esquartejado. Como a cabeça da vítima foi encontrada com lesões profundas do lado esquerdo, a identificação da face só foi obtida por meio de uma reconstituição feita a partir da análise computadorizada do formato do crânio.
Foi com o programa de computador de "reconstituição facial" da polícia que peritos conseguiram reproduzir o rosto que acreditam ser da vítima. Somente depois da elaboração desse retrato é que a família de Álvaro foi chamada para reconhecer a imagem, que achou parecida com a do motorista.
Retrato falado do suspeito de espalhar pedaços do corpo de vítima (Foto: Reprodução TV Globo)Retrato falado do suspeito de espalhar pedaços do
corpo de vítima (Foto: Reprodução TV Globo)
Suspeito preso
Na sexta-feira (4), a polícia prendeu um suspeito de ter ligação com o esquartejamento do corpo. Segundo a investigação, o morador de rua João Eduardo Jerônimo, 29, é o homem flagrado por câmeras de segurança do bairro de Higienópolis carregando um carrinho de feira com membros e o tronco. Ele não aparece nas imagens que mostram outro suspeito carregando um saco perto da Sé, onde foi encontrada a cabeça.

Um retrato computadorizado do suspeito de agir em Higienópolis foi divulgado na quinta-feira (3) e ajudou na prisão dele. A imagem foi produzida a partir de cenas de vídeos registrados por câmeras de segurança de prédios da região.
O G1 não conseguiu falar com Jerônimo ou com algum advogado que o defenda para comentar o assunto.

Morador de rua, usuário de crack e com passagem pela polícia por roubo, o suspeito negou ter matado e esquartejado a vítima, mas confessou, segundo o DHPP, que distribuiu os sacos com as partes do corpo perto do cemitério.

Ele alegou aos policiais que não sabia que os pedaços da vítima estavam dentro. Também declarou que recebeu R$ 30 de um homem em um carro prata para distribuir os sacos.
O suspeito estava em liberdade condicional, revogada em janeiro. Após isso, a Justiça decretou um mandado de prisão. Ele tinha sido condenado a uma pena de cinco anos e quatro meses por roubo.
O DHPP investiga se o homem esquartejado foi vítima de um crime passional. Parentes do desparecido informaram que ele tinha uma amante, que teria contratado dois homens para esquartejar o corpo. O motivo seria vingança, já que a mulher não aceitou o rompimento do relacionamento.
OAB
A Comissão de Segurança da Ordem dos Advogados do Brasil em São Paulo (OAB-SP) acompanha as investigações a pedido da polícia. "Fomos chamados pelo DHPP para dar garantir a lisura e transparência da apuração", afirmou o advogado Arles Gonçalves Júnior, presidente da comissão, à equipe de reportagem.

De acordo com Gonçalves Júnior, a Justiça teria decretado sigilo no caso para não atrapalhar a investigação. "Ou seja, detalhes da apuração não poderiam ser passadas para a imprensa, mas somente para as partes envolvidas: polícia, OAB e familiares".

Jovem morto em confronto com a polícia colecionava assaltos Denilson Barbosa, o “Maconha”, agia com comparsa, que fugiu durante cerco.

Fotos: Sérgio Costa / Portal BO
O jovem Denilson Barbosa Duarte, de 18 anos, morto em confronto com a policia nesta quarta-feira (16), na comunidade Novo Horizonte, possuía uma extensa ficha criminal e colecionava dezenas de assaltos. Essa afirmação foi dada pelo delegado titular do 3º Distrito Policial, Natanion de Freitas. “Maconha”, como era mais conhecido, teria praticado somente na manhã de ontem quatro assaltos a estabelecimentos comerciais na zona Leste, acompanhado de outro suspeito.
Logo que tomou conhecimento da ação dos assaltantes o delegado convocou uma equipe de agentes e investigadores e deu início a uma caçada. Informações apontaram a localização da dupla e os policiais da 3º DP e da Rocam cercaram a comunidade localizada no bairro das Quintas e conseguiram surpreender os dois. Houve troca de tiros e Denilson foi morto durante o confronto. O outro suspeito identificado apenas por “Junior Facão” conseguiu fugir.
De acordo com Natanion, o bandido morto era procurado pelas polícias e considerado um dos mais atuantes assaltantes da região, a ele eram atribuídos mais de 50 assaltos a lojas, padarias, postos de combustíveis e principalmente a ônibus coletivo, este último era a especialidade dele.
“O sujeito não era de brincadeira, assaltava e muitas vezes atirava para ameaçar as vítimas, recebemos informes de que ele juntamente com o comparsa agiam dia e noite aterrorizando o cidadão de bem, na maioria das vezes passageiros e motoristas de ônibus. Ele foi ousado em atirar em direção a nossa equipe, tivemos que revidar”, relatou.
Uma ação conjunta ainda está em andamento na tentativa de localizar o outro partícipe dos assaltos. Equipes da Rocam e do 9º Batalhão realizam diligências em bairros como Quintas, Felipe Camarão, Planalto e Nordeste, até a manhã desta quinta o procurado continuava foragido.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Quatro homens são presos durante operação da Polícia Civil em Goianinha/RN




Uma ação policial na manhã desta quarta 16, resultou na apreensão de R$ 500 em dinheiro fracionado, além de maconha e crack.
Durante a operação, policial civis da cidade de Goianinha, litoral sul do estado, prenderam quatro pessoas suspeitas de tráfico de drogas.
A operação, segundo o delegado Wellington Segundo, aconteceu logo nas primeiras horas da manhã .Ainda de acordo com o delegado, os quatro suspeitos já respondem por tráfico de drogas.

Com o grupo foram apreendidos aproximadamente 2 quilos de drogas. Além daisso, os policiais também encontraram cerca de R$ 500 em dinheiro fracionado.
Novas fotos da operação: 
Créditos Degepol



Publicidad
Portal NCO

TRE nega direito de Cláudia Regina fazer campanha em Mossoró




Cláudia-ReginaOutra decisão, desta vez no Tribunal Regional Eleitoral (TRE), o juiz Nilson Cavalcanti, indeferiu mandado de segurança protocolizado pelos advogados da candidata à prefeitura de Mossoró pelo DEM, Cláudia Regina.
Os advogados queriam suspender a decisão tomada pelo juiz eleitoral da 33ª zona, Herval Sampaio, que suspendeu “os atos de campanha” da prefeita cassada e afastada. O despacho foi mantido pela Corte Eleitoral.

Mossoró: ministra mantém inelegibilidade de Larissa no TSE


larissa hospital
A ministra Laurita Vaz, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), manteve a inelegibilidade da candidata à prefeitura de Mossoró, deputada estadual Larissa Rosado (PSB).
Diante dos três pedidos de impugnação contra Larissa, sua assessoria jurídica havia impetrado ação cautelar junto ao TSE, pedindo a suspensão da inelegibilidade, mas Laurita negou o pleito.

Lajes: Homem reage a abordagem da polícia e acaba sendo morto

A Polícia Militar de Lajes ao visualizar um homem identificado como Jefferson em atitude suspeita resolveu fazer uma abordagem, tendo o suspeito sacado de um revolver calibre 38, nesse momento um policial em legítima defesa disparou contra o homem que foi atingido pelo tirou e saiu cambaleando até o banheiro de uma churrascaria e pousada as margens da BR 304 onde ocorreu o fato.

De acordo com informações da Polícia Civil, a vítima respondia por 157, também já havia sido preso no carnaval desta ano em Lajes, tendo conseguido fugir da cela usando garrafas Peti cheia de água.

Os PMS colocaram a vítima na viatura e socorreram para o hospital local, o mesmo já chegou sem vida. Populares disseram que o suspeito costuma andar com a arma na cintura e chegou a mostrar o cabo da mesma em uma casa de show da cidade.

Por Cabugi Notícia